Quais as maiores ameaças para pequenas empresas?

Desde 2015, o Brasil vem sofrendo uma crise financeira que causou o fechamento de grandes e pequenos negócios. De acordo com a Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), em 2019, os pedidos de falência subiram 59,8%, em comparação com o ano anterior. As micro e pequenas empresas foram responsáveis por 95,1% dos pedidos.

Mas afinal, quais são as principais ameaças hoje para as pequenas empresas?

Vulnerabilidade: considerado como uma das maiores ameaças para empresas brasileiras, a interrupção abrupta de negócios está associada a situações inusitadas, como inundações, incêndios, falta de energia e outras formas de danos materiais. Estas ameaças para empresas se agravam no Brasil, pois são raros os negócios que contam com algum tipo de seguro contra tais eventualidades.

Controle econômico

Deflação e inflação: você já deve saber que a variação de preços afeta diretamente o consumidor de grandes e pequenos negócios. Isso ocorre por diversos motivos, entre eles a inflação (aumento de preços), deflação (redução de preços) ou ainda programas de controle econômico e comercial. Entre estes programas podem estar iniciativas do governo de controle ou restrições de crédito, que também podem ser ameaças para empresas. 

Mercado

A criação de novos negócios, marcas e tendências geram crescimento econômico e renovação de serviços. No entanto, para isso é necessário desenvolver uma alta capacidade de resiliência às possíveis crises que determinado serviço possa enfrentar, devido às transformações do mercado. Aquisições e fusões de grandes empreendimentos também podem alterar o cenário empresarial e financeiro, assim como a estagnação e a flutuação econômica de determinado setor.  

Legislação

Nos últimos anos o Brasil passou por vários processos de mudanças na legislação e ainda está passando. No entanto, tais modificações ainda não podem ser tratadas como ameaças. Em março de 2017, foi sancionada a Lei da Terceirização, que permite às empresas a contratação terceirizada de todas as atividades do negócio. No final do mesmo ano, a Reforma Trabalhista foi aprovada, flexibilizando as relações de trabalho entre empregado e empregador. Outras mudanças, mais recentes, como a Reforma da Previdência, a flexibilização das Normas Regulamentadoras e a criação de um novo programa para a geração de empregos, também estão e vão influenciar os modelos de contratação daqui para frente. Entretanto, todas as mudanças aplicadas pelo Governo têm como objetivo tornar os processos menos burocráticos e custosos para as empresas.

Quais são as principais preocupações dos gestores com relação às questões que ameaçam os seus negócios?

No topo das preocupações dos gestores estão a incerteza política e regulamentação excessiva. O que essas empresas podem fazer para reduzir os impactos que os fatores e externos podem causar em seus negócios? Transforme os riscos em oportunidades. Mapear os riscos permitirá que a empresa desenvolva uma estratégia baseada em suas necessidades e especificidades. A empresa deverá desenvolver um plano de ações estratégicas, objetivando minimizar o impacto causado pelas ameaças.

Caso o problema esteja relacionado as variações de mercado, principalmente preços, a empresa pode estudar o desenvolvimento de novos produtos que atinjam um público diferenciado ou produtos com um custo de desenvolvimento menor e que, consequentemente, podem ser vendidos por um valor mais acessível. Além disso, a empresa deve investir em capacitação para manter os colaboradores atualizados e estar sempre informada sobre novas estratégias de negócios, bem como o uso de novas ferramentas.

Comentários
WhatsApp Converse com a gente no WhatsApp